quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

PAISAGEM NO RETROVISOR

A despeito de qualquer lágrima que queimou a face
Ao ouvir a música Retrovisor, de Fagner,
Há controvérsias hoje quanto à letra.

"Onde a máquina me leva" há tanto e tanto e tanto...
Para ver e ouvir e sentir.
Contudo só se obtém o desprendimento 
quando há liberdade de si mesmo
Alguns não conseguem viajar, sobretudo os oprimidos...
Não os escravos do mercado de trabalho,
Mas os oprimidos e opressores de si mesmos
Em nome de um sentimento nauseabundo e decadente.

Viajar requer desapego.
É aprender a deixar com os rastros da máquina
Quaisquer sintomas de realidade que podem ferir.

Despir-se um bocado do seu mundo,
Alçar voo, pegar estrada,
Caminhar novas trilhas

É curar-se um pouco de si mesmo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário