domingo, 4 de dezembro de 2011

Sonho?

"Sonho? Pobre não tem sonho.
Tem vontade."
(Resposta de uma mãe de família nordestina do sertão pernambucano a uma jornalista)
E mais uma vez, sem saber, uma pessoa quase sem estudo algum
fez poesia sobre a própria desgraça.
A poesia cabe em todo lugar.
 No mais incrível amor ou na mais lancinante dor. 
 
Ps: (Essa senhora tem 9 filhos dos quais 4 têm uma doença neuronal degenerativa.
Todos estão em cadeiras de rodas sobrevivendo a duras penas...)

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Das agruras do amor

Terror de te amar num sítio tão frágil como o mundo.

Mal de te amar neste lugar de imperfeição
Onde tudo nos quebra e emudece
Onde tudo nos mente e nos separa.


Sophia de Mello Breyner Andresen 
Não importa o lugar.
O terror em qualquer situação é de amar...

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Ausência

"O poeta se engrandece
perante a ausência,
como se só a ausência fosse o seu altar,
e ele ficasse maior que a palavra.
No meu caso, não,
a ausência me deixa submersa,
sem acesso a mim."
Mia Couto
(Antes de nascer o mundo)
A ausência não pode curar nenhum mal.
"Eu só sou na tua presença." 

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

De novo amor

"O amor é uma morfina.
Podia ser comerciado em embalagem sob o nome:
AMORFINA."
Mia Couto
(Antes de nascer o mundo)
Nada mais entorpecente.
Enebria todos os sentidos possíveis 
e até faz-nos crer que existe mesmo.
Ah, o amor...

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Sobre a vida

"Não chegamos realmente a viver durante a maior parte da nossa vida. 
Desperdiçamo-nos numa espraiada letargia a que, 
para nosso próprio engano e consolo, chamamos existência. 
No resto, vamos vagalumeando, 
acesos apenas por breves intermitências." 
Mia Couto
(Do livro: Antes de nascer o mundo)
E essas intermitências, às vezes, 
fazem valer uma vida inteira...

sábado, 19 de novembro de 2011

Da África

"'Escuta', diz a África milenar. 
Tudo fala. Tudo é palavra. 
Tudo busca nos transmitir um estado de ser 
misteriosamente enriquecedor. 
Aprende a escutar o silêncio 
e descobrirás que é música." 
Amadou Hampâté-Bâ
E descobrir a literatura africana é algo como
ouvir boa música todo tempo,
pois além do que lê,
ficam na mente gritando
aquelas belas vozes da África.
As vozes do silêncio.
Delicioso!!!

sábado, 12 de novembro de 2011

Viajante

"Eu sou o viajante do deserto que, no regresso, diz:
viajei apenas para procurar minhas próprias pegadas.
Sim, eu sou aquele que viaja apenas para se cobrir de saudades.
Eis o deserto, e nele me sonho;
eis o oásis, e nele não sei viver."
Mia Couto
(Venenos de Deus, remédios do Diabo)
Pior que cobrir-se de saudades
é não ter como matá-las...
Pior que caminhar descalço na areia quente
é não encontrar suas pegadas
na tentativa de regresso.

Da alta idade

"Cada velho que morre
é uma biblioteca que arde."
Mia Couto
Ah, quem dera pudéssemos salvaguardar
todas as histórias
carregadas nas memórias 
dos que já viveram tanto,
e têm (ou tinham)
tantas histórias para contar...
São ou foram, esses idosos,
bibliotecas orais.

Ps: Em memória dos meus (idos e amados) avôs.

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Veneno

"O suficiente é para quem não ama.
No amor, só existem infinitos."
Mia Couto
(Venenos de Deus, remédios do Diabo)
 E por ser de infinitos 
talvez não o venhamos a entender nunca.

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Diálogo

          _  Que lindo dia!!! Como é bom ver esse sol brilhando assim...
          _  Eu prefiro a noite. O escuro, o breu, o mistério carregado nela...
          _  Você prefere a noite não porque gosta do escuro, mas para se esconder da vida.
          _   ...........................................................
          "Quem fala a verdade não merece castigo."


terça-feira, 4 de outubro de 2011

Eu queria escrever um livro

 “Eu queria escrever um livro. Mas onde estão as palavras? Esgotaram-se os significados. Como surdos e mudos comunicamo-nos com as mãos. Eu queria que me dessem licença para eu escrever ao som harpejado e agreste a sucata da palavra. E prescindir de ser discursivo. 
Assim: poluição”.
Clarice Lispector
Assim fora eu,
a escritora sem ideias.
Não fosse a autora acima,
teria me sentido uma vez na vida
ao menos, singular,
sem ideias.

 A diferença brutal é que ela as teve,
eu não.

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Relembrando

"Hay hombres que luchan un dia y son buenos.
Hay otros que luchan un año y son mejores.
Hay quienes luchan muchos años y son muy buenos.
Pero hay los que luchan toda la vida: esos son los imprescindibles."
Bertold Brecht
 Sem palavras...

domingo, 25 de setembro de 2011

A última esperança

"[...]Porque foste em minh'alma
como um 'anoitecer'.
Porque foste
 o que tinha que ser..."
(Tom Jobim)

Não é a claridade da manhã
que me seduz,
Mas os mistérios da noite,
A ausência de luz.

... Porque eu era labirinto...

Como é por dentro outra pessoa
Quem é que o saberá sonhar?
A alma de outrem é outro universo
Com que não há comunicação possível,
Com que não há verdadeiro entendimento.

Nada sabemos da alma
Senão da nossa;
As dos outros são olhares,
São gestos, são palavras,
Com a suposição de qualquer semelhança
No fundo.

Fernando Pessoa


E quando a sua própria alma não
lhe diz nada?
E quando se é um estrangeiro
dentro de si?

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Meu fado

"Meu fado é de não entender quase tudo.
Sobre o nada eu tenho profundidades."
Manoel de Barros
E o nada representa quase tudo.
A vida, a morte
O azar, a sorte.
É mesmo um fado, é quase o mundo.

terça-feira, 20 de setembro de 2011

.............

"Só o silêncio faz rumor 
no voo das borboletas."
Manoel de Barros
Assim sendo, silenciemos...
.........................................

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Sinto saudades...

"Sinto saudades de quem não me despedi direito, 
das coisas que deixei passar, 
de quem não tive, mas quis muito ter." 
Clarice Lispector


E como a própria Clarice disse:
"Saudade é como fome", 
assim sendo, 
quantas fomes nossas 
jamais serão saciadas???

Obviedade

É na noite mais escura
que consigo saborear melhor
as estrelas.

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Amigos

"Tenho amigos para saber quem eu sou,
pois vendo-os loucos e santos, 
bobos e sérios, 
crianças e velhos,
nunca me esquecerei de que 
a normalidade é uma ilusão estéril."
Oscar Wilde
E posso contar todos os meus amigos
em apenas uma mão.
Ter tão poucos não me entristece,
causa-me uma profunda satisfação,
pois me servem de qualquer medida:
Loucos e santos, bobos e sérios,
crianças e velhos.
E ainda me fazem ver todos os dias
que a normalidade não existe,
assim me conformo comigo.

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Brevidade

Vejo o vácuo da escuridão da noite.
Cães ladram ao longe.
A epiderme transpira a nada.
Vazio na mais profunda cerne.
"Olhe para a vida!" - grito.
Mas o que é a vida,
senão esse breve traço
antes da morte???

Valor do silêncio

"Só entende o valor do silêncio 
quem tem necessidade de calar 
para não ferir alguém."
(Não sei de quem é, roubei do "face".) 
Incontáveis as vezes em que se faz necessário
segurar a voz antes de libertá-la,
causando dores em outrem,
embora doa em nós 
ter que devolver essa mesma voz às cordas vocais
que não a ouviram sair.

Camoniando

Ainda que eu falasse 
a língua dos homens e dos anjos, 
De amor eu nada saberia...
Amém!!!

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Sol e lua... Lua e sol

Há dias em que o sol deveria
tornar-se lua e trazer-nos
a beleza e o mistério que
ela carrega no seu íntimo,
sem ser extravagante,
sem ser tão exageradamente brilhante...




Calor  insuportável!!!
Dias longos, sol escaldante.
Falta noite, falta lua...



quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Beijo

"Havia mais que um desejo
A força do beijo
Por mais que vadia
Não sacia mais..."
Djavan

Não raro, nada sacia a sede de viver.

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Que verá esse sol?

"Que verá este sol que vai nascer, 
alguma vez aprenderemos a não fazer perguntas inúteis, 
mas enquanto esse tempo não chega,
aproveitemos para perguntar-nos, 
Que verá esse sol que vai nascer[...]"  
José Saramago
(O Evangelho Segundo Jesus Cristo)
Que veja alegrias ou tristezas,
mas somos sabedores de que sempre será testemunha
das peripécias humanas durante todo o dia.

terça-feira, 28 de junho de 2011

Parodiando

Eu não vi a alegria
Não sei se a alegria existe
A alegria não me importa e nem me diz nada.

A alegria consola
De um consolo mórbido
E insosso.

Não quero a apatia
Dos torpes momentos do riso.
Prefiro o fecundo tédio
Dos que conheceram
A poesia.  


segunda-feira, 27 de junho de 2011

Da Tristeza

"Às vezes você tem que ficar triste
para se lembrar de que está vivo.
É melhor do que não sentir nada."
(Filme O Paraíso É Logo Ali)
"[...]Ficar triste é comum, 
é um sentimento tão legítimo quanto a alegria, 
é um registro de nossa sensibilidade, 
que ora gargalha em grupo, 
ora busca o silêncio e a solidão."
Martha Medeiros


sábado, 25 de junho de 2011

Memória

Certos acontecimentos deveriam ser proibidos 
de passar dos limites da inconsciência.

Sapo Cururu, na beira do rio...


"Quando pequena, 
o coachar dos sapos me apavorava,
então escondia a cabeça embaixo dos lençóis
como se eles fossem me proteger
de qualquer indesejada audição.
Hoje, sinto saudades daquele barulho
outrora tão assustador e não o ouço mais.
Seria nesse momento
uma doce canção de ninar."

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Saque

"Não sou como a abelha saqueadora 
que vai sugar o mel de uma flor, 
e depois de outra flor. 
Sou como o besouro que enclausura
no seio de uma única rosa 
e vive nela até que se fechem
as pétalas sobre ele; 
e abafado neste aperto supremo, 
morre entre os braços da flor que elegeu."
Roger Martin du Gard
Nem abelha, nem besouro...
Sou apenas a que rouba de ti sua solidão 
para fazer companhia à minha.

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Olhos nos olhos

Seu corpo sobre o meu, meu rosto sob o seu. Balbucio:
_ Às vezes tenho a impressão de que quer me roubar de mim.
Fecho os olhos lentamente. 
_ Abra os olhos!  - você sussurra.
_ Não, porque a vida me sai por eles. - respondo mantendo-os cerrados.
_ Não posso lhe roubar nada que não lhe pertença.
Olhos abertos de susto. Mudez.

Paradoxos


Onde quis calmaria, fui tormenta.
Onde quis cumplicidade, evasão.
Onde quis retorno, fui a fuga.
Onde quis soldado, marginal.
Onde quis oração, fui a descrença.
Onde quis proteção, abandono.
Onde quis fartura, fui limitação.
Onde quis palavras, silêncio.
Onde quis memórias, fui esquecimento.
Onde quis diversão, casa limpa.
Onde quis o sol, fui a noite.
Onde quis prosa, poesia.
Onde quis abraço, fui desalento.
Onde quis novidade, museu.
Onde quis movimento, fui estátua.
Onde quis riso, melancolia.
Onde quis a cura, fui sangramento.
Onde quis o circo, velório.
Onde quis nascer, fui enterro.
Onde quis espaço, prisão.
Onde quis metáfora, fui paradoxo.
Onde quis caminhada, corsário.
Hoje já nada quer.
Hoje já nada sou.

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Abraço

"O abraço é o excesso de palavras."
  Carpinejar
 E existe no mundo 
um excesso mais propício?

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Reconhecimento

"O fracasso é sinal de reconhecimento. 
Somente pode existir antecedido de um sucesso."
Carpinejar
Às vezes o fracasso nos põe em tão grande desolamento,
que não temos a capacidade de discernir
momentos de grandeza que vieram antes dele...


Silêncio!

"O silêncio constrange, 
tudo pode estar incluído nele."
Fabrício Carpinejar
Hoje fui deliciosamente presenteada por uma amiga sensibilíssima
e disse a ela que não tinha nem palavras para agradecer,
então me respondeu, talvez ironicamente:
ADORO SILÊNCIO MESMO!
Que bom que tanta coisa pode ser dita no silêncio...
Valeu BIA!!!

domingo, 12 de junho de 2011

Atos

"... se antes de cada acto nosso 
nos puséssemos a prever 
todas as consequências dele, 
a pensar nelas a sério, 
primeiro as imediatas, 
depois as prováveis, 
depois as possíveis, 
depois as imagináveis, 
não chegaríamos sequer a mover-nos 
de onde o primeiro pensamento 
nos tivesse feito parar."
José Saramago
(Ensaio Sobre a Cegueira)
 
Fôssemos imortais, 
            talvez até parássemos
                       para pensar mais...

terça-feira, 7 de junho de 2011

Coisas da modernidade

"O homem moderno não vai se encontrar, 
porque a procura é sua única possibilidade de identidade." 
Fabrício Carpinejar
Isso realmente me acalenta...
Pena que nenhum homem, antes do moderno,
tenha conseguido se encontrar também.
De repente essa seja uma das pás do moinho
que faz girar o ser humano...

terça-feira, 31 de maio de 2011

Fraqueza ou Coragem

"Desistir não foi fraqueza... 
foi meu maior ato de coragem.
Chega um momento em que sabemos 
que é hora de tomar outros rumos."
Elzinha
Nunca antes havia lido 
"desistir" como sinônimo de coragem.
Porém, se bem analisarmos,
tem certos momentos
e determinadas situações
em que desistir consiste num ato de bravura imensurável,
e que nada tem a ver com fracasso.
Existe um tempo em que desistir
nos faz mais fortes para mirarmos
outras planícies.
Isso sim é heroico:
ENXERGAR OUTRAS PARAGENS
E RUMAR PARA ELAS...

domingo, 29 de maio de 2011

Borboletas

"A borboleta é a lição viva
de que tudo é passageiro."
No ciclo de vida, 
as borboletas processam uma metamorfose completa 
em quatro fases bem definidas e bastante distintas como
ovos, larvas, crisálidas, e finalmente borboletas.
Cabe a nós, se quisermos seguir o exemplo,
distinguir qual das fases nos cai melhor.
E se decidirmos ser borboletas,
é preciso saber sempre,
como ela, que tudo é passageiro.
Cada parte, triste ou feliz da vida,
aceitemos ou não, faz parte desse ciclo.
Conscientizemo-nos então, de que tudo é passageiro
e que amanhã será um novo dia sempre.

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Arrependimento

"Não há maior solidão 
do que se arrepender tarde demais."
Fabrício Carpinejar
Creio que não seja de todo ruim
arrepender-se, mesmo que tarde demais.
Isso nos proporciona a chance
de tentarmos não cometer os mesmos erros.

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Bem e Mal

"O Bem e o Mal não existem em si mesmos,
cada um deles é somente a ausência do outro."
José Saramago
(O Evangelho Segundo Jesus Cristo)
O Bem e o Mal não existem em si mesmos,
bem como a sapiência e a estupidez,
o conhecimento e a ignorância,
a sensatez e a sandice,
o comedimento e o exagero,
o silêncio e o barulho
ou qualquer antônimo de substantivo nefasto ou não
do qual cultuamos prazerosamente
mesmo conhecendo as benéfices ou males
que ele pode nos causar.

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Anjo x Demônio

“Cada um descobre o seu anjo
Tendo um caso com o demônio.”
Mia Couto
 
E na luta diária entre nossos anjos e demônios,
vamos carregando a reflexão 
sobre "qual dos dois 
temos alimentado com mais frequência".

 

Sobre a paixão

A paixão é como a embriaguez.
Alguns tanto a ela se entregam,
que acabam por acordar na sarjeta.
Ainda assim,
quem dera acordássemos
todos os dias nessa condição...

Desvario Humano

Quem pode conhecer a dimensão 
do desvario humano?
Quem poderia entender o Homem
trocando, todo dia,
o lucro pelo dano?