segunda-feira, 7 de junho de 2010

MEA CULPA

"Mas nem sempre é necessário tornar-se forte.
Temos que respirar nossas fraquezas." Clarice Lispector


Mas não caibo mais em mim de dores, 
De fraqueza, de pudores e culpa... Falta...Crime...Culpa...
A culpa de "deus" pela sua monstruosa criação.
O peso do meu crime é o mesmo do "pai" da gênese humana.
E me vingo "dele" todos os dias quando abro os olhos ao amanhecer.
Estou viva! Esse peso eu carrego, mas "ele" também ainda...
E a cada dia que passa me sinto mais forte para não mais navegar.
Porque navegar não é preciso. Morrer é.
Mas ela, sombria, não chega porque também quer o mal de "deus".
Aportada, pois, no cais fico. No caos, aguardando a hora que o extremo me atingirá.
Fim de culpa, de medo, de pudor, de fraqueza, finalmente.
Forte!

 

7 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. NOSSA,COMO ESCREVES BEM ROZE!!! LINDO, LINDO E LINDO!! MINHA SEMANA COMEÇOU BOA DEMAISS LENDO TEUS ESCRITOS!! BOA SEMANA AMORE!! BEIJOOO;))))
    PS - A MSG DE CIMA APAGUEI POIS ESTAVA NO NOME DO E-MAIL QUE TENHO COM AS AMIGAS DA FACU:))))))

    ResponderExcluir
  4. ESTOU FAZENDO UM TESTE!! HIHIH. QUANDO APAGO O COMENTARIO, NÃO CONSIGO APAGAR TUDO!!! ELE MOSTRA QUE FOI APAGADO!!!! GRRRRRRR

    ResponderExcluir
  5. rsss...Tudo bem, querida.
    Bom tê-la sempre por aqui.
    Hj, especialmente, estou melancólica demais. Sorry...

    ResponderExcluir